6.887 toneladas de produtos para as vítimas da seca no Sul
19 de Maio de 2020

LTI - Operação no combate a seca no sul de Angola

Até ao final da segunda fase do Programa de Emergência de Apoio à Seca no Sul de Angola, que terminou em Fevereiro, foram distribuídas 6.887 toneladas de produtos diversos em cinco províncias. O Cunene recebeu quase metade do total de mantimentos (3.666 toneladas). Apenas dois municípios foram contemplados na província do Moxico.

As restantes províncias incluídas nas medidas de emergência são o Namibe, Huíla e Cuando Cubango.

Consultados pelo Jornal de Angola, os dados da empresa de logística LTI, responsável pela distribuição, mostra que, entre 22 de Novembro de 2019 e 21 de Fevereiro 2020 (referente à segunda fase do programa), foram transportadas 2.112 toneladas para a província mais afectada pela seca, o Cunene, nomeadamente para os municípios de Namacunde, Cahama, Curoca, Cuvelai.

Cuanhama e Ombadja

Durante a primeira fase, que decorreu entre 11 de Agosto e 22 de Novembro, o Cunene recebeu cerca de 1.554 toneladas, o que perfaz o total de 3.666 toneladas. A província do Cunene, nos municípios de Ombadja, Namacunde, Cahama e Curoca, foi a única a receber reservatórios de água de 20 litros, 5 mil e 10 mil litros.

O Namibe aparece em segundo lugar, com a distribuição de 1.275 toneladas de produtos. A primeira fase entregou 517 toneladas, enquanto a segunda ronda transportou 758 toneladas.

A província da Huíla recebeu 906 toneladas na primeira fase e 228 até 21 de Fevereiro, num total de 1.134 toneladas de pro- dutos entregues em todos os municípios.

No Cuando Cubango foram distribuídas 488 toneladas no total. Os municípios mais beneficiados foram o Calai, Mavinga e Dirico. Já na província do Moxico apenas os municípios dos Bundas e Luchazes receberam os produtos de emergência, num total de 322 toneladas.

Segundo os relatórios da logística, restam 405 toneladas de diversos produtos já preparados para entrega. Os mantimentos incluem água, sumos, bolachas, sal, massango, fuba de milho, feijão, arroz, massa alimentar, peixe, num total de mais de 40 referências.

A seca nas províncias do Cunene, Moxico, Namibe, Huíla e Cuando Cubango afecta cerca de 280 mil famílias, correspondente a 1 milhão e 340 mil cidadãos, num cenário que provocou, igualmente, a morte de quase 11 mil cabeças de gado.

No total, o programa representa um investimento de 19,8 mil milhões de kwanzas (cerca de 35 milhões de dólares) para a aquisição de meios para assistência de emergência e acções específicas de combate à seca.

Fonte: Jornal de Angola
Edição de 18 de Maio de 2020, página 32.